FANDOM


Fogodasbruxas small




Alexia Cyannor

Alexia Cyannor, durante os acontecimentos de A Sombra do Exilado


História Editar

Alexia é filha de Lexaria Cyannor, uma poderosa feiticeira executada pela Inquisição por bruxaria cerca de dez anos atrás. Seu pai foi um militar que desapareceu em ações na fronteira norte de Cygnar, um território de tensa disputa com o exercito de Khador.

Quando ficou orfã foi acolhida Liara, irmã de sua mãe e esposa do Padre Dumas, líder da igreja de Morrow em Corvis. Liara faleceu pouco depois em um acidente naval, deixando Alexia aos cuidados do tio. Ela foi criada dentro do ambiente religioso, educada por padres e introduzida à alta sociedade da cidade. Aos 17 anos ela aparentava ser uma garota normal, e muito se especulava sobre um arranjo que poderia ser feito para seu casamento.

Conpirações Editar

No final de sua infância Alexia descobrira ter herdado o sangue de feiticeira, e passou a desenvolver seu potencial em segredo. Durante o processo a condenação de sua mãe se tornava uma obsessão, e ela roubou os documentos secretos acerca o envolvimento da igrja com o julgamento. Por meses ela os estudou, e por fim se convenceu de que Lexaria fora vitima de uma conspiração.

Ulfas Borloch, então um membro do conselho de Corvis, vinha chantageando Lexaria e quatro outras feiticeiras da cidade para que elas fizessem serviços sujos para ele. Por algum tempo elas colaboraram, por medo de serem reveladas, mas quando se negaram a assassinar um de seus oponentes políticos, Borloch as incriminou por bruxaria e crimes não não cometeram. A pena foi a morte, e ele utilizou a notoriedade que ganhou com o caso para se eleger prefeito da cidade, anos mais tarde. Mas, como Alexia descobriu, a própria conspiração do prefeito não passou de um joguete de uma figura maior, Vans Oberen, antigo mago da corte do rei deposto Vinter Raelthorn, e chefe da Inquisição. Oberen visava a execução das cinco feiticeiras, pois possuía a Fogo das Bruxas, uma lâmina mística ancestral que suga as almas e os poderes de conjuradores arcanos, e os transmite para seu portador.

Oberen tramou para ser o executor das feiticeiras, e utilizou a Fogo das Bruxas para absorver suas almas. Mas seus planos falham quando ele entra em coma ao tentar assimilar os poderes das feiticeiras, que eram mais poderosas do que ele previra, e por isso não havia se preparado adequadamente. O Padre Dumas, que assistia a execução como representante do clero local, pressentiu a terrivel aura necromântica da espada, mas não a reconheceu como a lâmina das lendas. Temendo que ela fosse um instrumento perigoso se caísse em mãos erradas, ele a levou. O corpo de Lexaria seria enterrado no cemitério da catedral de Corvis, em um tûmulo preparado para conter as energias negativas que o cadaver de uma bruxa poderia desprender, e alí foi depositada também a Fogo das Bruxas, pois os rituais já realizados seriam o bastante para conter sua influência.

Vingança e DerrotaEditar

Alexia, confusa pela interferência do tio e acreditando não poder confiar em ninguém mais, utilizou seus poderes para lentamente erguer um pequeno exercito de esqueletos, e com eles invadiu Corvis durante a Mais Longa das Noites, um festival cultural local. O pânico tomou as ruas, e em meio ao caos ela profanou o túmulo da mãe, roubando seu corpo e a Fogo das Bruxas. O próprio Oberen se revelou na tentativa de impedi-la e reaver a lâmina necromântica, mas foi pego desprevinido mais uma vez por poderes maiores do que esperava. Alexia foge de Corvis, e seu paradeira é desconhecido.

Dias depois o novo Bispo de Corvis, padre Horácio, enviou uma força de ataque até um templo nos arredores da cidade, onde com o auxilio da Fogo das Bruxas Alexia poderia ressucitar sua mãe e as outras feiticeiras. O templo, morada do recluso e misterioso culto à uma deusa mecânica, possuia um aparato que permitia que uma alma armazenada corretamente fosse transferida à um receptáculo preparado, e Alexia pretendia devolver as almas presas na Fogo das Bruxas para seus corpos reanimados. A feiticeira invadira o local massacrando seus sacerdotes, mas foi localizada durante o ritual de transferência das almas e aparentemente morta. A Fogo das Bruxas fora recuperada e levada de volta à Corvis.

Resistência Editar

Quando as forças do antigo rei Vinter Raelthorne tomaram Corvis e iniciaram a caçada aos sacerdotes de Morrow, considerados perigosos para seus planos, Alexia retonou. Ferida e meio louca, ela alegava que no templo havia realizado o bastante para conseguir restaurar as almas das feiticeiras, e que elas agora habitavam seu corpo, o que de um modo inesperado cumpria seu objetivo de se reunir à sua mãe e suas companheiras. Quando ela descobre que seu tio fora torturado e morto pelos Inquisitores, ela decide auxiliar o Padre Leo, um de seus antigos tutores, em seu plano de levantar a Legião das Almas Perdidas, e com ela derrubar o poder de Vinter na cidade. De quebra, ela talvez tenha a chance de confrontar Vans Oberen, que novamente conmanda a Inquisição na cidade, e vingar as mortes de sua mãe e seu tio.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.